Autoliderança

Como? – Necessidade de mudança – Quando? 

Se existe algo na sua vida que não anda bem… Continue lendo este post.

Mulher-Maria:
Quando você percebe que precisa de uma mudança?
Em que ponto sua paciência explode a ponto de abandonar o que tem? 

Todas as mulheres já passaram; estão passando; passarão por este momento.

Nunca se sabe o que podemos encontrar por aí, quais perspectivas podemos formar que não estão dentro da nossa zona de conforto e poderemos estruturá-las de forma que se adaptem ao nosso novo estilo de vida.

Mas o que – de fato – nos leva a querer uma mudança?

Agradecer por tudo que temos é muito importante, eu diria imprescindível.

Por que, se você não valoriza o que possui, para que quer melhorar ou acrescentar algo novo?
O universo conspira a nosso favor sempre, por isso que devemos cuidar com amor de tudo o que temos, para pleitearmos e sermos merecedoras de algo novo.

A partir da gratidão, iniciamos o processo de eliminar o que é excesso, inútil, que está quebrado; nos libertar de tudo [coisas, pensamentos, sentimentos, relacionamentos] que não queremos mais em nossa nova vida.

Tudo bem! Não há nada errado com esse processo de eliminação.
Ao longo da nossa vida, vamos acumulando objetos, histórias, traumas, mágoas, pessoas que nos marcam com dor e essa dor gerá ressentimentos que vão nos adoecendo.

Ora, ora, todo acúmulo não é saudável!
Se há amor, devemos compartilhar. Se há dor, devemos curar. Se há tristeza, devemos chorar. Se há sofrimento, devemos falar. Se há raiva, devemos vomitar. Se há alegria, devemos gargalhar. Se há sonho, devemos realizar. Se há dinheiro, devemos ajudar. Se há miséria, devemos trabalhar. Se há sede, devemos saciar. Se há fome, devemos alimentar. Se há fé, devemos orar. Se há ignorância, devemos educar. Se há julgamento, devemos respeitar. Se há contravenção, devemos ser éticos.

Perceba que todo acúmulo demanda uma atitude de transformação. E quando um se transforma, inicia uma sequência de transformações.

Desse modo abrimos espaço para acolher e proteger tudo o que desejamos construir e adquirir a partir daqui, deste instante.

Não há necessidade de dizer:

“Eu nunca vou fazer isso!”
“Eu nunca vou trabalhar aqui!”
“Eu nunca mais quero ver esta pessoa na minha vida!”
“Eu nunca mais quero viver isso!”

Nunca é muito tempo e desconhecemos o que a vida nos reserva no momento em que iniciarmos nosso novo processo de mudança, portanto de evolução.
E, outro detalhe importante, nosso cérebro tem restrições ao processar a palavra não e suas variantes nunca, jamais.
Por isso, ao invés de dizer as frases acima, diga-as de modo a – de fato – negá-las:

“Farei de maneira diferente a partir de agora.”
“Trabalharei em lugares diferentes onde eu seja reconhecida pessoal e profissionalmente.”
“Quero conviver com pessoas que agreguem valor à minha vida.”
“Quero viver apenas o que me traga crescimento.”

É importante entender que a mudança acontece, quando construímos uma nova mentalidade, ou como está na moda, um novo ‘mindset’ de prosperidade.
Esse mindset nos coloca numa posição de movimento e abertura para novas possibilidades de: negócios, carreiras, relacionamentos, rotinas, hábitos, e talvez essa seja a primeira pedra que precisamos para construir nossa nova base.

Como se preparar para uma mudança?

A verdadeira mudança começa em nós, de uma inquietude interna, individual e particular.
Ninguém nos ensinou, não consta de nenhum livro escolar, é parte de nós, formarmo-nos neste tema.

Sabemos quando precisamos de uma mudança, quando inconsciente nos dá sinais de que algo não está mais dando certo em nossas vidas, e é muito importante conseguir decifrar esses alertas para ter tempo suficiente de se preparar mentalmente para a mudança.

O medo sempre vai existir. Ele é necessário para nossa sobrevivência.
Seja qual for a situação; ou se o fator que nos faz querer mudar seja bom ou ruim.

Tenho medo de falhar e não conseguir o que quero?
Ou estou com medo de tentar abrir mão do que já tenho?
Consegui o que tanto eu desejava. E agora: será que dou conta?

Contemple tudo numa escala, de um lado estará tudo o que a nutre e acrescenta como ser humano, como mulher, e do outro estará o que continua a subjugar-lhe, sabotar-lhe e a consumir sua energia.

E, como você, querida Mulher-Maria, minha amadinha leitora, sabe tudo na nossa vida é fruto de nossas escolhas.

Eu lhe pergunto:

Qual lado a impulsiona mais?

Você é livre para responder, dependendo de sua situação.
Pode responder, eu não consigo mudar.

Lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar que:

Transformar seu medo em motivação é o primeiro passo para conseguir deixar para trás o que você estava arrastando. Pense em algo novo. A vida é hoje.

E, pode, mesmo com um frio na espinha, dizer: o lado que me nutre.
Significa que você está dando ao medo o tamanho certo, levando de mãos dadas com sua coragem.
Isso mesmo, Mulher.
A vida é agora.

 

Agora que você chegou ao fim desse post.
Se você gostou, compartilhe com outras mulheres.

 

Vamos Mariar! 🦋

 

Autoamor é Autoestima

Como a Neurociência entende o AutoAmor?

Setembro amarelo é a oportunidade para a discussão sobre o suicídio, aproveito para inserir a questão do autoamor, segundo a neurociência.

A pressão das redes sociais para que a mulher esteja sempre dentro do padrão de beleza, de elegância, de posicionamento, de juventude, de sedução… viabiliza o acesso ao campo da vulnerabilidade feminina, podendo levar as mulheres a comportamentos extremos, tais como: anorexia, bulimia, depressão, suicídio.

Sim, a era dos Stories, Reels, Tiktok chegam num momento frágil para o público feminino geral, ou aquele que busca manter sua autenticidade, não cedendo à Ditadura da Moda.

Com a pandemia, muitas mulheres ficaram sem acesso a seus cabeleireiros, com isso os cabelos retomaram o padrão natural: alguns braquearam; outros encresparam; todos sofreram.
Isso sem contar com a pressão emocional: confinamento em casa, o fantasma da morte rondando a todos, as incertezas sobre o futuro ficaram mais evidentes, dificultando o lidar com seus sentimentos de forma construtiva.

Muitos relacionamentos terminaram, porque a convivência 24h, 7 dias da semana, por meses… evidenciaram o lado nu e cru de cada um.

E por que isso aconteceu, Mel?

Porque todas nós ficamos mais expostas em nossos relacionamentos, por sua vez sofreram a dificuldade de adaptação saudável.
Sim, a vulnerabilidade trouxe à tona a carência do autorrespeito sólido, facilitando os abusos, a violência doméstica.

Mulher-Maria, lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar que:

  1. Você pode ser amada pela pessoa que você é.
  2. Você possui valor.
  3. Você possui vulnerabilidades.

Eu digo isso de maneiras diferentes em todas as minhas postagens, porque sinto que devo comunicar a você e contar que você compartilhe com outras mulheres, para ajudá-las a desenvolver segurança e autoamor.

Você pode dizer assim?
“Ah, Mel, aquela mulher é bonita, por isso que ela…” “
Eu não sou a… para ter autoestima.”

Eu lhe digo, amadinha da Mel, existe uma linha tênue entre a falta de autoestima e o excesso de autoestima mascarada.
Recomendo a atenção concentrada na essência.
Sugiro-lhe que encontre a sua verdade, a sua identidade, para reconhecer os seus valores, suas forças, seus pontos de melhoria, suas belezas, seus atributos ÚNICOS E INTRANSFERÍVEIS.

Eis o motivo importante para que você ouça e escute seus pensamentos, entendo quais deles:

  1. Estão contaminados com as verdades dos outros e causam-lhe dor, sofrimento, doenças e ausência de autorrespeito, autoamor, autoconceito, autoliderança positivos e reais;
  2. São verdadeiros edificantes e apontam para VOCÊ em construção contínua, sendo sempre sua MELHOR VERSÃO aos 30, 40, 50, 60, 70+
    Sem julgamentos, sem comparações, apenas você e a segurança de que possui o corpo, as emoções, os pensamentos, os sentimentos necessários para sua evolução.
    Por isso, você pode melhorá-los a todo instante, por ESCOLHA.
    Não porque alguém disse que…

E aí, você ou outra Maria pode me dizer:
“Ah, Mel falar é fácil, como eu faço isso, se em casa, na família só escuto o contrário?”

Querida Mulher, através do AutoConhecimento você aprende a conhecer a SUPER MULHER que existe dentro de você.

É um investimento pessoal de encontro consciente com a sua história, suas crenças, seu sistema familiar, a partir das suas atitudes, crenças e o sistemas de relacionamento atuais.
São momentos de atenção focada em você, encontros verdadeiros com sua LUZ e sua SOMBRA.
Unindo pontas, dando novo significado para vivências traumáticas, curando a criança, a adolescente, a jovem interior.

Sim, é isso que trabalho na Mentoria de Autoconhecimento, método Mariar!

Eu afirmo e asseguro-lhe que o seu  AutoAmor Autêntico não a impedira que fique triste, suscetível.
Entretanto, você encontrará o antídoto que vai ajudá-la a readquirir sua Saúde Mental, criando mecanismos de defesa contra a “opinião dos outros” e como se ajustar às diversas barreiras que surgem, conseguindo ultrapassá-las com facilidade.

Eu chamo de AutoAmor Autêntico, aquele que foge da indústria da Autoestima que fatura milhões promovendo uma autoestima superficial e breve.

Conheça as características de quem tem uma Autoestima superficial:

  1. Baseia sua identidade nos bens materiais, tais como grifes, marcas: carro, celular, roupas e sapatos, forma física e dinheiro;
  2. São fofoqueiras, difamadoras e ameaçadoras, praticam bullying. Sentem-se fortalecidas enfraquecendo as outras, são fúteis e não possuem empatia;
  3. Só conseguem se Autodefinir, através do marketing nas imagens propagadas, evidenciando seu status social, cultural, estético como sendo os parâmetros da Autoestima e felicidade;
  4. Precisam de palco e aplausos, por isso vivem em função de curtidas nas Redes Sociais;
  5. São as típicas ‘Puxa-Saco’, porque estão concentradas na recompensa instantânea, no egocentrismo;
  6. Parecem que estão sempre em cena, desempenhando um papel, por isso desenvolve personalidades artificiais;
  7. Têm necessidade de consumir substâncias químicas para aumentar suas sensações de prazer: bebidas, medicamentos, drogas;
  8. Tendem a abandonar estudos, projetos, relacionamentos duradouros, para viverem em função do momento;
  9. Quando estão sozinhas consigo mesmas, sentem-se vazias, solitárias, tristes, deprimem com facilidade.

Contrariando esse Padrão tristonho… o AutoAmor Autêntico emerge com o equilíbrio emocional-cognitivo que faz com que você:

  1. Se sinta bem consigo mesma [você é sua melhor companhia sozinha e uma excelente companhia em grupos];
  2. Consiga ter serenidade para resolver suas dificuldades [foca sempre na solução, não no problema;
  3. Conheça seus pontos fortes, por isso os usa para desenvolver a AutoConfiança;
  4. Ame quem você é e sabe que pode melhorar sempre a sua Melhor versão;
  5. Corra riscos calculados, porque avalia as consequências a curto, médio e longo prazo;
  6. Invista em Auto e conhecimento, lazer, medicina preventiva, atividade física, relacionamentos saudáveis;
  7. Reconheça sua jornada evolutiva: aprende com os erros, celebrar os acertos e caminha em direção ao seu estado desejado;
  8. Assuma a responsabilidade pela sua história, por suas ações, palavras, sentimentos, pensamentos;
  9. Seja capaz de compartilhar o seu melhor com outras pessoas, sem criar expectativas de retribuição;
  10. Aja segundo seus valores morais e éticos sem esperar os aplausos;
  11. Viva em congruência com sua essência, sem julgamentos, desenvolvendo a empatia.

Você sabe como a neurociência está presente no seu processo de autoconhecimento,
para ajudar a desenvolver o AutoAmor?

Vou lhe contar no detalhe, tintim por tintim:
AutoAmor é uma interação emocional-cognitiva que é desenvolvida em nós, ela existe entre o córtex frontal e as áreas límbicas do cérebro.
Vamos construindo as nossas redes neurais, ou seja, as trilhas neurais, também conhecidas por sinapses neurais que – no popular – o nosso repertório de informação sobre AutoAmor, através da linguagem (captada pelos sentidos, palavras), da reflexão, do apoio em aprendizagens que vamos tendo ao longo da nossa história, desde o útero.

É através dessas vivências, que nosso cérebro vai se tornando confortável com quem somos e o AutoAmor é desenvolvido pela linguagem (corporal, verbal, intuitiva), pela modelagem (aprendemos pelo exemplo das pessoas com as quais convivemos, ou seja, o autoamor que nossos pais possuem são modelos para nós) e avaliação (a maneira como nossas atitudes são avaliadas pelos outros).

Lindo isso, né!
Delicado isso, não é mesmo!?
Quanta responsabilidade temos perantes as crianças e adolescentes.

Somos o resultado de tudo isso.
Por isso, escuto muito das minhas mentoradas, no início da Jornada: “Eu não consigo, não mereço, não tenho AutoAmor.”

Quando vamos evoluindo na jornada, vamos entendendo que os modelos também não possuíam, por isso não souberam ser exemplos de Autoamor.

Você sabia que o objetivo do nosso cérebro é se manter VIVO?

Isso mesmo.
Nosso cérebro quer viver e ele se mantém vivo, através da constante presença de um SENTIDO POSITIVO do EU.

Eu entendo que você, eu, todo ser humano quer ser validado, aprovado pelos outros que fazem sentido, agregando valor à nossa vida.

Agora, para que isso aconteça, precisamos ter bem desenvolvidos: segurança emocional e AutoAmor Autêntico.

Como você pode observar isso nas outras pessoas e em você?
Quando você enxerga pessoas:

  1. Agindo com integridade, responsabilidade, harmonia psicológica, sinceridade e consistência. Você sabe que pode confiar nelas, na alegria interior e no orgulho real que sentem por suas histórias;
  2. Construindo laços emocionais e guardam nas memórias diversas vivências de afirmação positivas;
  3. Respeitando os outros em sua diversidade;
  4. Rindo de si mesmas, com um humor sempre saudável, positivo;
  5. Procurando ajuda para se: desenvolver internamente (processos de autoconhecimento), espiritualmente (representantes religiosos); manter saudáveis (médicos, dentistas) e dialogando com os amigos e familiares para compartilhar suas experiências;
  6. Motivadas pela vida pessoal, profissional, empreendedora, intelectual, espiritual;
  7. Sendo responsáveis pelas próprias vidas;
  8. Assumindo as consequências de suas escolhas.

Querida Mulher-Maria,
você pode e merece desenvolver seu AutoAmor Autêntico.

Comente o que fez sentido para você.

Autoestima

Espelho, espelho meu

Eu me amo.
Eu me amo.

Não posso mais viver sem mim!”
Roger, Ultraje a Rigor

Todas as vezes que ouço essa canção, sucesso no século passado, o tema AUTOESTIMA irrompe.
Sempre digo, farei um texto sobre esse tema. Hoje, eu decidi e aqui estamos.

Qual a definição de AutoEstima, AutoAmor?

Primeiramente, autoestima é o julgamento, a maneira como cada um aprecia, enxerga, constroi de si mesma, ou seja, quanto você é capaz de amar a si mesma.
Saiba que o melhor caminho, para que você possua uma auto-avaliação positiva é o autoconhecimento.

Através do autoconhecimento, quer pela psicologia, quer pelo Coaching, você terá ciência dos seus aspectos positivos, fortes, edificantes e dos aspectos de melhoria, aprenderá a valorizar suas virtudes.

Os encontros semanais para você CONHECER A MULHER QUE VOCÊ É DE VERDADE, viabilizam esse diálogo interior, essa permissão diante de sua rotina, para falar, pensar sobre você mesma com a finalidade de ser um empreendedora da própria vida, voltando-se para o próprio Self, a essência de si mesma, resgatando sua Identidade Feminina e Sagrada.

Quais os problemas consequentes de baixas taxas de autoestima?

Quando você reconhece seu mundo interior, torna-se mais apta para enfrentar e vencer os obstáculos e desafios cotidianos, conhecendo seu potencial interno para resistir, sua coragem para empreender e sua determinação, para vencer.

Com esse conhecimento, evita as crenças limitantes, conhecidas como armadilhas caracterizadoras da baixa autoestima, por exemplo: insegurança, perfeccionismo, dúvidas, falta de confiança em si mesmo, medo de errar, busca incansável por reconhecimento, pertença e aprovação.

Ao se fortalecer, você resiste bravamente a todos os fatores desencadeantes da queda da autoestima: crítica e autocrítica, culpa, abandono, rejeição, carência, frustração, inveja, timidez, raiva, medo…

Essa capacidade de auto-amar forma-se na infância, baseia-se na educação e no relacionamento afetivo com os familiares, amigos, educadores.

O ambiente e o contexto evolutivo de uma criança é imprescindível na edificação ou destruição da confiança da criança em si mesma.

Exemplo comum na infância de muitas pessoas:

I) Pais tornam a criança uma pessoa dependente, ela pode acreditar em falsas crenças (verdades individuais), proporcionando baixa autoestima.

Em Psicologia, auto estima abrange o que se chama de crenças auto-significantes:

“Eu sou inteligente/burro”, que agregam sentimentos idênticos: “segurança/insegurança” construindo traços de comportamento coerentes: “comunicativo/timidez”.

II) Pais depreciam a criança com ironias, zombarias, atitude de exposição ao constrangimento, sua autoestima será naturalmente inferior.

III) Na escola e nas amizades, durante brincadeiras essa situação pode também se apresentar, reforçando esse sentimento de insegurança.

Todo ser humano tem capacidade inata para o aprendizado, sendo produtiva pedagogicamente, contribuição importante e automática para a autoestima.

Nessa relação com a esfera educativa, inclui o relacionamento com colegas.

Quando crianças, somos influenciáveis e moldadas pelas pessoas com quem convivemos, principalmente a figura dos pais, alicerce e modelo de comportamento, porque é a imagem na qual nos refletimos e como os quais formamos os primeiros laços de amor e ódio.

Essa realidade pode acontecer em todos os vínculos sociais, reforçando a baixa ou alta presença da autoestima, ao longo da vida.

Como melhorar a autoestima?

Não é uma fórmula mágica, mas caminhos viáveis e comprovados que elevam a autoestima:

  1. Autoconhecimento: psicoterapia, coaching e Mentoria.
  2. Cuidados com a aparência: cabelos, pele, dentes, roupas, higiene, saúde são importantes, pois geram prazer em olhar no espelho.
  3. Valorizar seus pontos fortes, suas virtudes e empenhando-se para minimizar os pontos de melhoria.
  4. Obter aprendizado com as vivências da vida.
  5. Desenvolver a capacidade de amar-se, cuidar-se, valorizar-se, zelar pela própria saúde em primeiro lugar.
  6. Escutar a intuição e crer na sua capacidade e merecimento para ser feliz, ser amado, ser livre financeiramente, ser promovido.
  7. Desfrutar de todos os prazeres da vida, lazer, hobbies, desde que façam você você feliz.

Quando a autoestima se eleva, quais as consequências?

Quando você tem um bom nível de autoestima sabe receber com naturalidade os elogios e afetos, aprende a retribuí-los.

Sua ansiedade diminuída, obterá mais coerência em seus sentimentos, em seus pensamentos, palavras e ações.

Você reconhece seu lugar, seu valor pessoal, evitando a necessidade de aprovação alheia, sendo flexível, autoconfiante, sua produtividade profissional ficará mais evidenciada e você sentirá um equilíbrio no seu mundo interno expresso no mundo externo.

Faz sentido para você Melhorar sua Autoestima?

Vamos Mariar, porque a vida é preciosa. 🦋

Saúde Emocional

Como lidar com suas emoções?

Suas emoções batem à sua porta: “Toc-Toc”
Você desconfiada pergunta: Quem está aí?
Uma voz que conhece intimamente grita: Suas emoções! Deixe-nos entrar!

Mulher-Maria:
Coragem, abra a porta!

Querida Mulher-Maria, você precisa se curar, amada!

E, contrariando um pouco, ou muito, da maneira como nos ensinaram, enquanto crescíamos, eu afirmo que não há uma maneira certa ou errada de sentir. Sentimos e pronto!

Você sabia que:

A luta contra a depressão, ansiedade, distúrbops alimentares e vícios, faz com que muitas pessoas sofram a tendência a sentir tudo muito profundamente. Isso não é um problema em si.

As questões surgem, quando julgamos nossas emoções ou nos recusamos a senti-las.

Esse entorpecimento e desabafo emocional são realmente apenas tentativas de se livrar delas. Isso é inútil!

A maioria das pessoas, especialmente as mulheres, fazem um dos dois, porque eles são inconvenientes.

E a meta deste post é enfatizar o fato de que todo seu crescimento, e tantas lições acontecem, quando você enfrenta suas emoções de frente e tenta decodificá-las, entendê-las, para poder resolver.

Já, ao invalidarmos ou julgarmos nossas próprias emoções, tiramo-nas de sua habilidade de nos ensinar.

Como resultado, perdemos completamente o poder dessa bênção interna.

Esse é o motivo da fala popular: ou se aprende pelo amor ou pela dor.”

Aprendizado pela Dor:
Ao invalidar e/ou julgar suas emoções, você está escolhendo aprender pela dor.
Um preço alto, para não ousar viver sua JORNADA de AUTOCONHECIMENTO, através das emoções.
Sentir e fazer de conta que não sente. Deixar pra lá como diz a canção: “Deixe a vida me levar, vida leva eu.”
Suas emoções não escutadas, não valorizadas vão levar você cada vez mais para o fundo do poço, escuro, solitário, fracassado, culpado e as doenças psicossomáticas começarão a aparecer, entre elas: psoríase, dermatites, constipações intestinais, insônia, pânico, ansiedade, depressão, frigidez, anorgasmia, falta de libido, cansaço, falta de foco e motivação.

Aprendizado pelo AMOR:
Quanto mais você prestar atenção a você mesma, essa MULHER LINDA, SENSÍVEL E PODEROSA que você é, suas emoções começarão a se tornar guias em sua jornadade de AutoDescoberta.
E, em oposição à dor dos grandes bloqueios nas estradas que a levam ao sucesso, à felicidade.
Esse é o aprendizado pelo AMOR, não é fácil, mas é super compensador, porque você merece sempre O MELHOR e, garanto que, na Metodologia Mariar, com poucas sessões você começa a sentir os resultados, as mudanças reais, mensuráveis e definitivas.

Você pode estar se perguntando:

“Mel, como eu realmente devo me sentir em relação aos meus sentimentos?
Qual é o jeito de processar minhas emoções?”

Eu, como Mentora de AutoConhecimento, há 30 anos, compartilho algo que faço e indico às minhas mentoradas, baseando-me em minhas pesquisas acadêmicas.

Quando você estiver se sentindo emocional, faça-se estas perguntas:

1. O que eu sinto que aconteceu?
O que realmente aconteceu?

Quando você se faz essa pergunta, pode dar um passo atrás e isso a ajuda a determinar objetivamente a situação real, ao contrário do que percebera, devido à causas emocionais, traumas.

Nesse momento, pode perceber o que a situação trouxe de lembranças, de outras vivências.

Percebendo os gatilhos específicos que foram acionados e disparados naquele momento, para que você se sinta daquela forma, isso a ajuda a lidar com esses gatilhos mais diretamente, caso eles voltem a acontecer.

2. Quais são os meus pensamentos e crenças em torno do que – realmente- aconteceu?
Eles se alinham com minha verdade?

Quando você examina os pensamentos que está tendo, em torno da situação, você consegue determinar:      a) Estou recorrendo a velhas crenças?
b) Entendo melhor: por que algumas velhas crenças não me servem mais?
c) Quais são as crenças que me levam para o próximo nível evolutivo?

3. Quais as histórias que eu estou me contando sobre a situação?
Quais histórias estou me contando sobre o significado por trás de sentir essa emoção em particular?

Pense com carinho e verdade, em quantas vezes você vinculou o valor alto para fatores que não desempenham nenhum papel favorável e positivo em sua vida.

Distorcendo as evidências para outros itens, tais como: aparência física, carreira, dinheiro, relacionamento. São conexões falsas que você desenvolveu – ao longo do tempo – que são fáceis de recorrer quando as coisas dão errado.

Nesse contexto, você se rotula: CULPADA por todos os erros.
Passa a não enxergar saídas, soluções para os seus problemas.

Sem contar que, você  precisa assumir o diz a si mesma, sobre si mesma, em relação às emoções seus sentimentos.

Por exemplo, escuto muito nos encontros da Mentoria do Autoconhecimento:

‘Quando eu sentia raiva, uma velha história que eu contava a mim mesma.’
‘Eu sou difícil!’
‘Eu tenho uma grande falta de controle sobre mim.’
‘Quando eu estava ferida, eu me convencia de que era muito sensível e precisava crescer, ter uma pele mais grossa, para suportar.’
‘Todas as pessoas estão tão longe da verdade.’

Eu digo para as minhas queridas Marias-Mentoradas:

“Amada, isso são crenças que a sociedade, família, enraizaram em sua cabeça.
Gratidão a elas. Agora, chegou o seu momento de avaliar, se elas – ainda – são válidas, verdadeiras e – principalmente – se elas servem de asas ou âncoras para a vida que você MERECE VIVER.”

Uma vez que, você finalmente, sente-se capaz de aceitar que a emoção existe e permite-se sentir tudo, você pode fazer a próxima pergunta:

4. O que essa vivência emocional me ensinou?

É aquele momento precioso no qual você aceita que foi abençoada com a chance de crescer a partir desta experiência.

Seja qual forai lição [que pode nem se tornar aparente por semanas, meses ou anos], você pode optar por ser grata por isso, acreditar que algo bom existe e nascerá desse aprendizado.

Portanto, eu convido você: Vamos MARIAR!

Mariar é
buscar o AutoConhecimento com prioridade,
essa Jornada necessita da valorização das emoções.

Não há motivos, para você fugir da Jornada do Autoconhecimento.
Pare de dar desculpas: preço, duração, locomoção…
1. Preço? Você não sabe, muito menos o VALOR da sua transformação: precisa saber;
2. Duração? Tenha certeza e clareza solar que é bem menos do que o tempo que você sofre;
3. Locomoção? O atendimento online garante o sigilo, a ética e proximidade necessárias para que haja conexão entre nós.

Se você sente dificuldade com suas emoções, tenha uma atitude: Entre em contato comigo.
Com a Metodologia Mariar, você vai se CURAR, se POTENCIALIZAR para VIVER O MELHOR que você merece.

Vamos Mariar, porque a vida vale a pena!🦋

  • Leia também:

Como você cuida de sua criança interna?

Dedo podre – crença limitadora

Como se tornar resiliente diante da Ansiedade?

 

Relacionamento

Se deixar “a vida levar”, seu relacionamento acaba!

Quando o assunto é Relacionamento
– Negociar as Divergências é imprescindível


sugere para esta semana o filme Prova de Fogo.

Muitas vezes, no cotidiano a dois, com o intuito de que “dure para sempre”, as pessoas começam a se distanciar de si mesmas e isso cria ruídos e distanciamento entre as partes.

Todas nós passamos pela dificuldade de acreditar que nossas ações são SEMPRE corretas e O MELHOR para nós e para o outro.
Só que, nem sempre o nosso MELHOR, ‘está sendo mostrado da maneira correta, ou adequada para nosso companheiro.

Diante da rotina, a busca pela estabilidade financeira, a corrida pelo sucesso profissional – muitas vezes – fazem com que o relacionamento seja colocado num contexto decorativo – um aquário.

Ele existe, está lá, você olha toda hora, mas não percebe que ele necessita de cuidados básicos: limpar a água e o vidro, alimentar os peixes, regular o PH.

Fica claro que você tem de se dedicar diariamente ao seu relacionamento?
Nem sempre.

  • Começam os silêncios intermináveis,
  • as discussões longas por questões cotidianas,
  • gelam os carinhos e
  • as duas histórias que caminhavam paralelas, começam a encontrar rotatórias.

O que – a princípio – era apenas um espaço definidor de território, tornam-se canteiros e, sem perceber, a sua pista torna-se única e vê que surgiram novas faixas marginais.

O que essas duas métaforas estão nos dizendo:

  1. Que o relacionamento necessita de atenção full-time, baseadas no diálogo constante sobre todos os temas que envolvem as duas pessoas e o casal;
  2. os carinhos; as gentilezas; os planos para o futuro; o lazer a dois, familiar e com amigos.

Desse modo seu relacionamento fica blindado de influências externas (talvez até familiares, amigos, estranhos que possam servir de pedras para o bem-estar e harmonia do casal).

Meus pais foram casados por 49 anos e 11 meses, pude contemplar discussões.
Minha mãe falava alto; meu pai ouvia calado, quando ela terminava, ele falava baixo, pouco e fim.
Ela abaixava o tom, a conversa ia longe.

Pouco tempo depois, estavam lá de papinho e brincadeiras.
Quando a eternidade o levou, ela adoeceu, emudeceu, já não falava mais alto, perdeu o brilho.
Viveu ainda mais de 10 anos, porque seu propósito passou a ser cuidar de mim.

E, sempre que via eu e meu marido em discussão, falava:
“A vida com meu véio, me ensinou que tudo tem jeito.
Conversem, exponham todas as ideias, cheguem a um denominador comum.
Somente aí, vão fazer as suas coisas e dormir!
Eu já estou indo para o meu lugar.”

Se afastava, ia para o seu quarto e lá ficava até que um de nós a procurasse.

Quanta sabedoria de vida!
Minha mãe estava SUPER adequada em seu posicionamento.

O tempo pode ferver num casal, o volume pode ser alterado, as palavras podem subir e descer de nível, mas o alicerce do casal devem manter-se inalterado, porque apenas a VERDADE do AMOR garante a estabilidade da união.

Lembre-se Mulher-Maria:
Quando ele ferver, mantenha a calma e seja a água fria.
Quando você começar a ferver: Pare. Faça uma Pausa. Respire. Beba água. Retome seu equilíbrio.

Aprendi com meus pais. Aprendi com a vivência de 28 anos de relacionamento.
As ciências do comportamento e da saúde mental ensinam que apenas 3 atitudes cotidianas podem salvar seu relacionamento.

Atitude 1: Diálogo constante.

  1. Expor as dúvidas, as inquietações, os receios diários, viabilizando que o outro possa ouvir e enxergar de fora as suas questões, desse modo pode sugerir análises e posturas oportunas.
  2. Sobre a vida pessoal: expectativas, planos e metas, receios.
  3. Sobre a vida a dois: planos, sonhos, os desejos, as dúvidas.

Atitude 2: Autenticidade.

  1. Ser você mesmo sempre, expondo a sua verdade, flexibilizando-se para evoluir.
  2. Respeitar o seu espaço e o espaço do outro, para que ambos possam dialogar e compartilhar as verdades individuais.

Atitude 3: Criatividade.

  1. Seja livre ao lado da pessoa escolhida.
  2. Sejalivre, longe da pessoa escolhida.
  3. Surpreenda-se  e surpreenda o outro e com o outro.

Por vezes, diante das dificuldades, o casal esgota as tentativas para construção de um relacionamento seguro e harmonioso, mas continua repetindo as mesmas reações equivocadas, movidas pelo revanchismo, pela arrogância…

Isso acontece tanto no nível mental quanto emocional, esgarçando o relacionamento, podendo levá-la ao total rompimento do vínculo respeitoso, fraterno, amigo que alicerçou o seu relacionamento.

Existem muitas alternativas, para o resgate de todo relacionamento, desde que ambas partes estejam – ainda – olhando para a mesma direção.

Negociar as divergências significa que alguém no casal, precisa começar a mudança interna para que essa mudança se expanda e transforme tudo ao seu redor, inclusive a outra parte do casal.

Este filme diz muito sobre isso. Clique e assista ao Trailler. 

Talvez você conheça alguém, ou um casal que precise conhecer estas dicas.

Faça isso, compartilhe!

Vamos Mariar, porque a vida vale a pena! 🦋

 

Leia também:

Dedo podre: Crença Limitadora

Quem está no comando da sua vida

Cure Traumas e Fobias com EMDR

organizar é libertar-se

Por que ORGANIZAR é a resposta para se libertar?

Organizar a vida é construir uma Nova Mentalidade.

Mudar a mentalidade, ser um ímã de abundância, encontrar a estabilidade emocional… especialmente agora, porque estamos no aqui-agora!

Frequentemente, quando falamos em Mudar o rumo da história, nossas mentes imediatamente vão para o nosso espaço físico, desperta sentimentos de perda, de separação, de frustração.

Com razão, existem enormes benefícios em limpar a desordem do seu espaço físico, isso gera um impacto positivo na sua saúde mental, no seu bem-estar emocional e na percepção que você escolhe ter no mundo.

Em nosso clima atual, as situações parecem incertas, devido a diversos eventos externos: guerra, inflação alta, discussão eleitoral e a ansiedade surge internamente.

No entanto, essa tendência de entrar na espiral do medo acontece, porque estamos focadas no futuro, nas situações que não podemos controlar e em tudo o que está dando errado em nossas vidas.

Quero convidá-la a mudar sua perspectiva e
direcioná-la para o que você pode controlar.

A Lei principal da abundância nos diz que: Tudo o que você foca, você atrai.

Se você deseja atrair para a sua vida: riqueza, amor, sucesso e paz…

Você precisa se concentrar em
toda a riqueza,
todo o amor,
todo o sucesso e
toda a paz que já existem em sua vida.

Para criar abundância, você necessita concentrar na abundância que você já possui.

O contrário é, portanto, verdadeiro também; se você se concentrar em tudo o que você não tem e tudo o que é ‘ruim’, você estará atraindo mais desses males para a sua vida.

Isso se chama de Mentalidade Perdedora.

Simboralá mudar o Rumo dessa prosa, Mulher-Maria?

Entenda que a Lei da Atração e da Declinação (da mudança de rumo) podem e devem ser vistas como ferramentas de AutoConhecimento.

Você pode me perguntar: “Mel, eu leio o que você fala, mas o que posso fazer para sair dessa Mentalidade Perdedora, dessa espiral negativa?  Como?”

Eu lhe respondo por partes:

Em primeiro lugar: quando nosso espaço físico está desorganizado, sujo, nossas mentes ficam sobrecarregadas, tentando enxergar nossos espaços limpos e organizados.

Em segundo lugar: quando nossa mente está desordenada emocionalmente, essa bagunça se manifesta em nosso espaço físico. Vamos deixando as roupas e pertences largados, sujos…

Em resumo: espaço físico ou mente desorganizada faz com que você fica concentrada nisso. Seu foco está na desorganização, na sobrecarga que você sente, na frustração do tempo gasto, tentando encontrar itens perdidos na bagunça.

E, essa bagunça pode – até – levá-la a atrasos nos compromissos e entregas de trabalho, até você ser considerada improdutiva.

Essa sobrecarga pode acontecer no mundo inconsciente, você sente cansaço e sono.
Deita na cama e não consegue dormir.

Sua cabeça vira um turbilhão de ideias passando, passando e cobrando de você que as resolva ‘naquele’ momento, como num passe de mágica.

Noites de insônia geram mais cansaço, estresse, perda da concentração, sonolência no período de trabalho, mau humor, compulsão alimentar…

Tire um momento para você e pense:

  • Nas roupas que precisam ser lavadas, nas que precisam ser guardadas nas gavetas e/ou armários;
  • Observe os documentos empilhados na sua mesa;
  • Os calçados enfiados sob a cama;
  • A louça transbordando na pia;
  • A geladeira e armários com alimentos vencidos;
  • Sua bolsa repleta de papeis inúteis;

Você tende a acreditar que estas coisas todas possuem vida própria. Ou que você entende a sua bagunça.

Sinto dizer-lhe que isso NÃO É VERDADE.

Você está desperdiçando dinheiro, porque não se alimenta corretamente, compra sem planejamento e os alimentos vão se estragando e vencendo.

Suas roupas sujas vão perdendo a qualidade; documentos e contas vencidas necessitando que você pague juros.

Isso é miséria!

Mesmo o que você não vê, portanto, que está fora da sua mente consciente, quando está desorganizado, está lá ocupando espaço gigante no fundo de sua mente inconsciente.

Recapitulando: Mulher-Maria, quando você deixa seu espaço físico ou mental desorganizado, o seu foco fica restrito nisso conscientemente. E inconscientemente você atrai mais desorganização, ansiedade, estresse, insônia.

Por que mudar o rumo da história é uma ferramenta poderosa de libertação?

Eu sei, você pode argumentar que sua mente e da maioria da sociedade está confusa emocionalmente, porque o mundo está instável, existe um bombardeio de notícias e fake News sobre nova pandemia, eleição, e tantos outros medos do futuro.

Sim, eu entendo você.
Estamos lidando com um transbordamento de bagunça mental e emocional.

Agora que você sabe e reconhece este fato, cabe a você iniciar a MUDANÇA no seu espaço físico.

  • Lave as roupas sujas, faça pequenos consertos, escolha algumas para doação;
  • Arrume as roupas limpas nas gavetas e armários;
  • Separe os documentos, coloque as contas por ordem de vencimento;
  • Organize seus calçados;
  • Abra as janelas do seu lar, lave a roupa de cama, toalhas;
  • Passe a vassoura, o aspirador, o robozinho, mas limpe o chão e os móveis;
  • Limpe a geladeira, retire os alimentos vencidos dos armários;
  • Lave a louça;
  • Arrume sua bolsa;
  • Faça essas atividades sendo GRATA por possuir um lar, móveis, roupas, louças;

Faça essas atividades orando, cantando, ouvindo música alegre em postura de Alegria e Gratidão.

Após essa atividade, você estará fisicamente cansada? Acredito que sim.

Mas, sua casa estará perfumada com o aroma da higiene, da limpeza, da gratidão.

Você sentirá uma leveza poderosa, como se tivesse saído toneladas de seus ombros.

Tome um bom banho, lave seus cabelos e beba um copo com água.

Perceba a mudança, a sua casa ficou mais espaçosa, você consegue respirar melhor e sua mente pode começar a descansar.

Esses sentimentos pós-mudança são o que você sentirá sempre em sua casa e vida, a partir de agora.
Sabe por quê?

Porque você vai manter seus bens em organização, logo seu estresse vai diminuir, porque sabe onde estão seus pertences.

Ao deitar, sabe que pode descansar, porque sabe o que fará no próximo dia.

Recapitulando: Quando você organiza seu espaço físico, você, libera a desordem mental e emocional. Criando um ambiente externo e interno de paz e calma que promova emoções positivas, pensamentos prósperos, palavras edificantes e bons hábitos.

Como sair da mentalidade em espiral?
Limpe a bagunça e atraia abundância.

Agora, vamos trabalhar a bagunça no nível mental. Você está com o ambiente físico limpo e organizado, agora, você convida a INTENCIONALIDADE do BEM, do BELO e do PERFEITO, que é a prosperidade infinita para adentrar e fazer morada em sua vida.

Entenda como:

Passo 1: Identifique a sua maior DOR que provoca a bagunça

Independente de sua casa ser compartilhada com outras pessoas, você possui o seu espaço e é nele que deve focar. Quando é que você começa a largar mão da organização? Qual é essa descarga mental? Esse é o seu ponto de dor da desordem.

No consultório, uma Maria me disse assim: “Meu chefe briga comigo no trabalho! Eu chegou em casa, vou tirando a roupa e largando pelo caminho – de tão brava que eu estou. Aí no dia seguinte também. Pronto! Não quero arrumar mais.”

O ponto de dor da desordem para ela acontece, quando brigam com ela. A criança interna dela fica assustada com a briga e tem medo de perder o emprego, então ela se esconde na bagunça como proteção.

Existem diversos pontos de DOR de DESORDEM, afinal somos seres individuais, únicos. Escolha aquele que causará impacto mais significativo em sua vida, a ponto de você desistir de ser organizada.

Outro exemplo: você pode saber que tanto seu armário quanto sua garagem são pontos de dor para você. Mesmo assim, você usa seu armário todas as manhãs e construir um sistema simplificado para encontrar suas roupas, traria mais calma para você – ao se arrumar todas as manhãs. E durante o dia também, porque você não estaria sob o estresse do atraso, da roupa desalinhada.

Então, organizar seu armário primeiro é uma boa atitude que traz um impacto positivo imediato.

Vamos para uma atividade!
Responda a estas perguntas:
1) Qual é o meu maior ponto de desordem?
2) Qual área da minha vida eu tenho ignorado?
3) Qual área da minha casa fica sempre na minha cabeça que eu preciso arrumar?
4) O que está me causando muito estresse e como esse estresse pode estar ligado à bagunça no meu espaço físico?

Passo 2: Visualize.

Para que você organize adequadamente, primeiro precisa ter uma visão clara de como você quer que seu espaço se pareça.
Sente-se por 10 min e realmente fique animada em visualizar o resultado final: tudo arrumado, organizado e limpo.

Esse passo é IMPRESCINDÍVEL para você se motivar e seguir em frente com a organização, porque agora você sabe que existe uma conexão emocional com o resultado final.

Você está animada com o prazer que este novo espaço limpo, organizado trará para a sua vida e você está disposta a passar por qualquer dor que apareça durante essa organização.

Quando falo de dor, tem uma que é muito ardilosa, uma serpente, ela diz assim: “Farei um sócabano, depois eu arrumo, ninguém vai ver.”

Minha querida, você está vendo!
Cuidado com essa cobra venenosa, ela é uma tentação da espiral negativa, da mentalidade de miséria.

Vamos para uma atividade de reforçamento da sua visualização!
Nesse momento responda a estas perguntas:

1) Qual é a arrumação que estou fazendo?
2) Por que eu mereço uma casa organizada e uma mente saudável?
3) Como essa arrumação facilitará minha vida e me trará mais abundância?
4) Como eu sinto este espaço sendo arrumado?
5) Como eu me sinto usando este espaço?
6) Como este espaço reflete o que desejo de MELHOR para minha vida?
7) Quais outras áreas da minha vida são afetadas positivamente por este espaço limpo e organizado?

Passo 3: Redefinir a Produtividade

O tempo constitui um dos maiores bloqueios que impedem as pessoas de iniciar e completar a jornada de organização.

No dia a dia, a maioria das pessoas sente que não tem tempo suficiente. Pode ser que você, querida leitora esteja lendo este post, alguns meses, semanas depois que ele foi publicado.

Tudo bem, esta é a hora. Agora é o seu momento.

Se, porém, você está lendo durante seu tempo de férias, então você sabe que – possui um tempo abundante para cuidar do que lhe pertence.

Você pode sentir como se precisasse usar esse tempo sabiamente e ser excessivamente produtiva.

Querida Mulher-Maria, remova essa pressão sobre si mesma e redefina produtividade.

Produtividade é quando produzimos.
Organizar, limpar seus pertences e espaços é produtividade cujas tarefas são intencionais e necessárias para o êxito de todos os seus projetos pessoais, de carreira, de empreendedorismo.

Seja produtiva com simplicidade, consistência e libere a pressão de precisar fazer tudo de uma vez.
Faça aos poucos, mas do jeito certo, ou seja, com respeito cuidado e otimização para que você encontre tudo o que precisa com facilidade.

Se você está em viagem, mantenha seu quarto de hotel, seu flat organizado, assim você evita esquecer pertences.

Vamos para uma atividade!
Permita-se faxinar de graça, com alegria.
Cancele o sentimento de precisa ser excessivamente produtiva neste fim-de-semana, feriado prolongado, férias.
Permita-se um tempo para se organizar por dentro, enquanto arruma por fora.
Organize um plano com pequenas tarefas que você sabe que consegue terminar.

Organize, limpe em blocos gerenciáveis.
Faça um pouco a cada dia, mantendo o que está pronto.
Lembre-se de fazer essa atividade com a intenção de prosperar, de merecer viver num lugar limpo, organizado, bonito, sempre em postura de gratidão.

Organizar como uma ferramenta positiva de Mindfulness,
quando você se sente enlouquecida por agitação

Aproveite seu tempo em casa para desacelerar, reconecte-se consigo mesma e seus familiares, e destrave da bagunça, projetando seu espaço de uma maneira que lhe propicie facilidade mental e emocional.

Tenha certeza, pode confiar no que digo:

Você vai se sentir melhor e, por que criou um espaço que evoca
sentimentos de calma e amor, você –
também colherá resultados ativos, positivos fisicamente, inclundo progresso financeiro.

Principais Aprendizados:
I – Organizar é uma ferramenta poderosa que vai além do ambiente externo, físico, ela expande para os ambientes internos: mental e emocional.
II – Lei da Atração para atrair abundância: Tudo o que você concentra, você atrai.
III – Identifique seu maior ponto de DOR da Desordem e use-o como mola propulsora para organizar.
IV –Crie uma visão clara de como você quer o seu ambiente organizado, prático, acessível e limpo.
V – Organize e entre na próxima fase de sua vida.

Os resultados do espaço livre da bagunça vão contagiar todas as outras áreas da vida.
Quando o mundo externo é caótivo, ele espelha o seu mundo interno.

Faça do seu ambiente doméstico um espaço calmante para recuperar energias positivas e encontrar a paz.

Quando seu mundo externo é estável, ter uma casa intencionalmente projetada pode trazer clareza em torno do que você quer para vida pessoal, profissional e empreendedora.

Você possui liberdade e controle sobre seu tempo,
porque a neblina da bagunça e sujeira se dissipou.

Você não perde tempo limpando, procurando.
Agora você investe tempo mantendo limpo e organizado.

Mulher-Maria, eu entendo que, para muitas essa Mudança de Mentalidade é dolorosa, porque envolvem crenças, traumas emocionais muito profundos.

Eu acolho você e a convido para a curar de toda essa DOR.
Onde quer que você esteja no mundo, estou aqui para acolhê-la e apoiá-la na cura dessa DOR.

Estamos juntas nesssa jornada.

Lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar que:

“ainda há coisas que você pode controlar, e trazer organização,
intenção de progresso e paz para o seu espaço externo é incrivelmente poderoso para
você lidar, curar e se libertar da ansiedade, estresse, insônia, depressão e
tantos outros males emocionais.”

Compartilhe se fez sentido para você.
Comente se você gostou desse artigo.

Entre em contato para agendar uma sessão de Mentoria do Autoconhecimento, para resolver a DOR da Desordem e suas consequências.

Bem como para expor alguma dúvida e comentário.

 

Leia também:

12 atitudes para criar um ambiente que apóie sua saúde e bem-estar

Como Criar uma Rotina Matinal

dedo podre, Dedo podre, Dedo Podre

Dedo Podre – Crença Limitadora

Dedo Podre, você sabe o que é?

 

“Só arrumo cafajeste!”
“Todos os que se aproximam de mim são comprometidos.”
“Homem na minha vida? Nenhum.”
“Comigo é assim: chega, encanta, come e vai embora.”
“Nenhum quer compromisso.”

 

Essas são colocações muito recorrentes em meus atendimentos de define o que é popularmente conhecido como: “DEDO PODRE.”

Quando escuto minhas Marias falarem essas frases e outras semelhantes, sinto a dor, o peso e a desesperança em suas vozes.

Sim, elas sofrem muito.
Sentem-se usadas, abusadas sem querer.
Na verdade, lembro da frase de Gil do Vigor, no BBB 20, ao se referir à Poca, sua colega de confinado:

“Eu não dou atenção para ‘BASCULHO’.”

BASCULHO, segundo o dicionário é uma forma pejorativa para: Pessoa suja, desgrenhada, desalinhada, enxovalhada.

Quem acredita no DEDO PODRE, sente-se um BASCULHO!

Caramba! Isso é inaceitável. É muita Auto-Violência, Auto-Abuso.

É muita humilhação, muita tristeza e muita – muita mesmo – falta de AutoAmor.

Sabe por quê?
Vou lhe contar no detalhe.

Em primeiro lugar, porque todo mundo pode falar o que quiser sobre você, afinal cada um tem boca e fala qualquer coisa.

Cabe a você selecionar o que é seu, ou seja, o que pode agregar valor à sua vida.
E, meu bem!
O que é pura maldade, veneno de quem fala com o objetivo claro de gerar sofrimento em você, mesmo que venha com a máscara de “falo como amiga!”

Bom, depois de separar o Joio do Trigo

Temos o segundo lugar, não menos importante, mas que faz toda a diferença na história!
É o que eu vou lhe dizer agora, com a autoridade de uma profissional da saúde mental, que trabalha há 30 anos com mulheres e – principalmente – SOU MULHER.

 

O que define o dedo podre?

As afirmações que definem o Dedo Podre, entre elas:

“Eu não nasci pra me relacionar”!
“Não existe a pessoa certa pra mim.”

O que está podre, não é o seu dedo lindo e maravilhoso.
O que está causando este sofrimento terrível é o que chamamos de CRENÇA.

Minha mãe dizia, talvez a sua também, quem sabe sua avó:

“Não falta um chinelo velho para um pé doente calçar.”

Que horror isso!

Eu dizia: “Mamãe, tô fora. Quero um Christian Louboutin de salto, porque eu mereço pisar no tapete vermelho que eu escolher.”

Dizia e digo isso, porque esses calcados possuem o solado vermelho, ou seja, você não precisa de tapete vermelho.

Você está sobre o tapete vermelho e escolhe onde e como pisa.

Ela ria e dizia: “Que assim seja.”

Mulher-Maria, entenda que todo ser humano possui um sistema de crenças.
Elas podem ter sido “imprintadas, instaladas, absorvidas, aprendidas” em diversos momentos da sua história:

Gestação. Infância. Adolescência. Juventude, Maturidade.

Você pode me perguntar: “De que forma, Mel?”

Eu lhe respondo com clareza solar:
“Minha querida, através de experiências, vivências que você teve e que foram mostrando, ensinando algo sobre você.

A maneira como você percebe e/ou absorve essas experiências ou afirmações sobre você, foram confirmadas por figuras de autoridade como: pai, mãe, avós, professores, irmãos mais velhos, tios.”

CRENÇAS: é um sistema amplo que compreende a aquisição de uma crença e – na verdade – ela fica lá instalada no inconsciente e NEM SEMPRE é perceptível.

Temos as crenças podem ser EMPODERADORAS:

“Você é linda, inteligente, sensível.”
“Você consegue.”
“Eu confio em você.”
“Vai lá, se dedica que você merece isso e muito mais.”

Temos as crenças LIMITADORAS:

“Você só faz merda.”
Você é burra feito uma pedra.”
“Você é cabeça dura.”
“Ah, é bem a sua cara…”
“Isso não é pra você!”
“Aceite a nossa situação e não sonha não!”
“Pra você é isso que tem.”
“Você tem de se contentar com o que tem.”

O pulo do gato é que essas CRENÇAS são dos outros, mesmo de pessoas a quem amamos e respeitamos:

“São as crenças deles.
As verdades deles.
As maneiras deles verem ou não enxergarem.”

Não são obrigatoriamente verdadeiras, principalmente em se tratando de nossa essência.

Como as CRENÇAS moram no inconsciente, você não as percebe facilmente.
Até porque você não possui AUTOCONHECIMENTO suficiente para diferenciá-las.

Esse é o benefício dos processos de Autoconhecimento, tais como: Psicoterapia, Psicanálise, Life Coaching e Mentoria do Autoconhecimento.
Nesses processos, eu e minhas Marias, vamos desenrolando o novelo da vida e entendendo o que é JOIO e o que é trigo.
Para o Joio, ressignificamos; para o TRIGO, valorizamos e potencializamos.

Como era a realidade na sua infância?

Talvez no seu sistema familiar a suas referências são: mãe submissa e pai rigoroso, distante por trabalhar demais ou por outros motivos.

Você convivendo com essa realidade, entendeu isso como verdade e regra, criando a crença:

“Para eu me relacionar, preciso ser submissa como minha mãe.”

A partir dessa crença limitadora, você passa a atrair homens parecidos com seu pai: distantes, rigorosos, agressivos…

Não posso generalizar, porque cada pessoa é um universo de possibilidades.
Apenas citei um exemplo de como a crença limitadora age.

Em minha jornada profissional tive e tenho Marias que viveram essa configuração familiar na infância.

E o medo de viver um relacionamento semelhante ou parecido ao dos pais, entra, no modo defesa: SABOTAM a si mesmas e relacionamentos.

No consultório, minha Marias me dizem:

“Mel, eu não quero ser como a minha mãe!”

Eu escuto: “Mel, quero viver algo diferente e melhor que a vida da minha mãe com o meu pai.”

Querida Leitora Mulher-Maria, você percebe como é profundo esse assunto?

São tantos sentimentos e incontáveis necessidades que essa pessoa precisa preencher, saciar, desde a gestação, a infância…

É um processo sério, profundo, doloroso e LIBERTADOR, quando no processo de AUTOCONHECIMENTO, a mulher toma consciência, entende e ressignifica. Ela muda, sai do modo defes e entra no modo consciente da escolha inteligente.

Mulher-Maria, olhe para o que você acredita com respeito.

Lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar:

Seus dedos são lindos, perfeitos e úteis.
O que você precisa mudar é maneira como você ACREDITA em si mesma.

Comente comigo:
Você já tinha pensado nisso?
Você se sente desacreditada na sua capacidade de AMAR e SER AMADA?

Vamos Mariar: Sua vida vale a pena.
TRANSforme essa crença limitadora em CRENÇA EMPODERADORA? 🦋

Clique nos links abaixo para falar comigo.

Ansiedade e resiliência

AutoCuidado: Como se Tornar Resiliente diante da Ansiedade

5 Estratégias baseadas na – ACEITAÇÃO – para ajudá-la a se tornar Resiliente à Ansiedade

Eu sei que, muitas vezes parece que a Ansiedade está nos controlando.

Poderosa.
Última bolacha recheada do pacote.
Dona da situação!!!

Isso é um engano e falarei sobre isso agora.

A ansiedade pode interferir em tudo, na nossa vida, desde eventos sociais, situações profissionais, até no nosso momentinho de relaxamento, na privacidade do nosso lar.

Sim, ela tem o poder de chegar, assim sem a gente esperar, de repente: “SURPRESA!!”

A ansiedade desencadeia o nosso instinto primitivo, em nosso cérebro aciona a resposta: Luta ou Fuga?

Sabe o que isso significa?

Significa que essa visita-surpresa chamada Ansiedade faz com que nossos cérebros ajam a partir do modo de sobrevivência.

É como se fôssemos atacadas por um dinossauro, uma cobra… algo que coloque em risco nossa vida.

Nesse momento, saímos do modo racional!

Até percebermos que nossa ansiedade pode ser irracional, nossos corpos já estão reagindo e torna-se difícil, ou – IMPOSSÍVEL – nos acalmar.

Vou abrir um momento difícil em minha vida:
 quando eu tive uma CRISE de ANSIEDADE!

“Era julho de 2020, em plena pandemia, eu só saia de casa, para compras semanais de alimentos perecíveis.

Eu estava dirigindo pela Serra da Cantareira, usando máscara, vidros abertos, sol gostoso, cantando, de repente: uma tosse fraca que se tornou insistente, uma dor no braço esquerdo, falta de ar.

Eu dirigindo, busquei a racionalidade: comecei a respirar profundamente e a conversar com Deus.

Lembro-me de dizer:

“Senhor, é minha hora? Estou tendo um infarto? Pai Celestial, permita que eu chegue em lugar seguro, sem causar acidentes.”

O ar era cada vez mais raro, a dor no peito era intensa, eu tremia, mãos geladas.  Não conseguia respirar profundamente.

Ao chegar no pé da Serra, tem um posto BR – minha salvação, entrei pela contramão, parei o carro numa vaga, desci e quase desmaiando, falei para o frentista chamar os Bombeiros, que eu estava infartando.

Não sei quanto tempo demorou.

Só sei que o peito doía, eu não respirava, sentada numa cadeira, as pessoas me abanando.

Uma voz me disse, quem eu aviso, eu mostrei no celular o número do marido.

Bombeiros chegaram, pressão arterial altíssima, pontas dos dedos e lábios violáceos. Colocaram-me no respirador. Fui socorrida!

Vomitei no transporte, os Bombeiros-anjos, falam: “Já estamos chegando, vai dar tudo certo!”

A sirene tocando, eu sentia as curvas e a velocidade, não conseguia falar, nem mexer um músculo.

Eu só pensava e dialogava comigo mesma: “Calma, Melcina! Tudo vai dar certo!”

Mas, o medo gritava: “Nós vamos morreeeeeerrrrrr!!!! Justo agora!!!!!!!!”

No Pronto Socorro do Jaçanã, do Hospital São Luiz Gonzaga da Santa Casa de Misericórdia, tive um atendimento SUPER atencioso e profissional. Gratidão a todos os profissionais pelo carinho.

Aferiram minha pressão que estava altíssima, colocaram-me no soro com medicação, dormi. Meio cambaleante, levaram-me para fazer exames de sangue e cardíacos, fiquei na sala de recuperação, sonolenta.

Vocês acham que eu pensava: E o carro? Minha bolsa? Compromissos? Marido?

Nada. Eu não pensava nada.

Por volta das 15h, o médico veio conversar e me disse:

“Sra. Melcina a senhora teve uma CRISE de ANSIEDADE!
Vamos medicá-la, fornecer uma receita e, quando possível, a senhora consulte um médico e um psicólogo.”

EU? CRISE DE ANSIEDADE? COMO ASSIM?

Sim, eu tive. Quando passou a crise, no dia seguinte, eu sentia o corpo dolorido, parecia que um rolo compressor tinha passado várias vezes sobre mim.

Como sou psicóloga há 30 anos, tenho um psicólogo-supervisor para me ajudar a olhar para mim mesma.

Conversamos por longo tempo e ele me disse que eu e muitas pessoas do planeta estávamos ansiosos, por conta do Medo que a Pandemia instalara em todos, as dúvidas sobre o contágio, a cura, as vacinas…

Após esse episódio:
eu me dediquei a estudar, elaborar, copilar estratégias das minhas formações acadêmicas e práticas orientais:
PNL, Mindfulness, Medicina Chinesa, Psicologia, Inteligência Emocional, Cura Quântica,
Neurociência Cognitiva, Hipnose Ericksoniana, Barra de Access, ThetaHealing, Yoga, Tai-Chi…
testá-las para evitar nova crise.
Deu certo comigo, não tive mais crises.

Apliquei em minhas clientes e está funcionando.

Por isso compartilharei com você, dentre muitas, 5 estratégias eficientes e eficazes.

Mulher-Maria, não desejo a ninguém passar pelo que passei, mesmo sabendo que muitas passam.

Quero ajudar você, que está lendo agora, portanto, está comigo.

Uma estratégia eficaz é regular nossos cérebros usando a respiração profunda.

Isso permite que nossos cérebros saibam que estamos em uma situação segura e não há problema nenhuma, em desligar a resposta: Luta ou Fuga.

 Você pode dizer agora:
Ah, tá bom, Mel, como eu faço isso, no começo da crise?

Eu lhe digo difícil, eu tentei e não consegui.

Por isso que as técnicas que podemos utilizar, começam antes de ficarmos sobrecarregadas pela ansiedade!

Técnicas baseadas no Mindfulness, ou seja, Atenção Plena e aceitação radical têm o poder de NÃO APENAS parar a ansiedade, como também de fornecer uma SENSAÇÃO de controle sobre nossas experiências e sensações.

Aqui estão as 5 estratégias básicas que uso, ensino minhas Marias-Clientes a usarem a ACEITAÇÃO para controlar a ansiedade.

Querida, Mulher-Maria, tenha em mente que algumas delas podem e são difíceis de praticar e a ajuda de profissional pode ser útil.

 1ª Estratégia: ACEITE que está passando por um momento de ANSIEDADE.

Quando lidamos com a Ansiedade, nosso primeiro instinto, geralmente, é lutar contra ela, negando sua presença. Dizemos assim:

“Por que isso está acontecendo comigo?”
“A ansiedade está arruinando minha vida!”
“Sou ansiosa não consigo controlar e sempre estrago tudo!”
“Sou ansiosa, por isso não consigo….”

Infelizmente, quanto mais nos recusamos a aceitar a Ansiedade, mais ela cresce dentro de nós.

Aceitar a ansiedade não significa que queremos ser ansiosas, nem que somos resignadas.

Significa aceitar que a Ansiedade é uma experiência de vida.

Podemos não querer isso em nossas vidas, mas está aqui agora, isso é fato.

Então, significa que a Ansiedade é a causadora provável da maioria de nossas preocupações, noites mal dormidas, digestão difícil, prisão de ventre, ressecamento fecal, enxaquecas…

Saber que a ansiedade pinta uma imagem mais sombria do que a realidade realmente é, permite-nos deixar de lado as nossas PRÉ-OCUPAÇÕES e nos ocuparmos do que é importante e garante nossa saúde mental e emocional.

Aceitar que a Ansiedade está presente, faz com que possamos enxergá-la como algo FORA de nós, que podemos entender e, em última análise, CONTROLAR.

2ª Estratégia: CONHEÇA suas sensações físicas.

Quando sentimos sintomas de Ansiedade física, tais como: batimentos cardíacos acelerados, dores no peito, tontura, nossos medos pode ser sobrecarregados.

Nossos cérebros amplificam cada sensação e não podemos parar de nos perguntar:

“O que há de errado comigo?”

Tenha certeza de que ficamos convencidas de que vamos desmaiar, vomitar, ou até mesmo morrer.

Dizer a nós mesmas que estamos bem – raramente – funciona, pois somos mantidas em cativeiro por ondas de pânico.

Essa estratégia alternativa volta-se para a AUTO-OBSERVAÇÃO das nossas sensações físicas.

Imagine que você é uma cientista, uma observadora natural, e é seu trabalho documentar o fenômeno: MEUS SINTOMAS DE ANSIEDADE.

Observe cada sensação, através de uma lente objetiva e rotule o que está acontecendo e como se sente.

Agora, você pode estar pensando:

“Sei, Mel. Tá bom, a vida corrida que eu tenho. Não tenho tempo para isso?”

Eu lhe digo, querida Mulher-Maria:

“Exatamente por não criar esse tempo
que você está sofrendo com Crise de Ansiedade!”

3ª Estratégia: PRATIQUE a aceitação de possibilidades.

Esta estratégia é a MAIS DESAFIADORA e, portanto, MUITO EFICAZ!

A Ansiedade nos leva a pensar em um milhão de: “E, se….”

Podemos imaginar uma série de cenários catastróficos, que podem parecer igualmente possíveis, quando estamos no auge da ansiedade.

Normalmente, pensamos em como seria horrível, se qualquer um desses cenários ruins, HIPOTÉTICOS realmente acontecessem.

Esse pensamento aumenta, amplifica, fermenta, dá tamanho à nossa Ansiedade.

Já, querida Mulher-Maria, quando você pratica a ACEITAÇÃO da ideia de que os cenários NÃO ESTÃO ACONTECENDO.

Pode parecer contra-intuitivo, mas você tira o poder da Ansiedade.

Mulher-Maria, VOCÊ ASSUME O COMANDO.

4ª Estratégia: OUSAR ir Além da Ansiedade.

Quando ousamos ir além da Ansiedade, dizemos que nos recusamos a ser aterrorizadas por possibilidades assustadoras.
Estamos dizendo:

“Vou em frente. Ansiedade não sou eu.
Ela está aqui.
Sou forte e posso lidar com isso!”

Sim, Mulher-Maria, você é forte e pode lidar com qualquer ansiedade que surja no seu caminho.

Venha ela com sintomas físicos assustadores, pensamentos preocupantes, emoções avassaladoras, podemos vencer qualquer que seja a ansiedade, então dizemos isso a ela, para trazê-la ao tamanho pequeno e real.

Desse modo, escolhemos mostrar para a Ansiedade quem está no PODER, no COMANDO.

5ª Estratégia: CONECTE-SE com sua HUMANIDADE.

Lembre-se sempre de nunca se esquecer de lembrar que:

“A ansiedade é uma experiência humana.
Não estamos sozinhas em nossa ansiedade.”

Quando nos sentimos ansiosas é como se fôssemos as únicas no planeta.

Nada disso!

Realize  e aceite a verdade de que muitas outras pessoas sentem o mesmo, mesmo que não saibamos, até porque, muitas pessoas sofrem caladas, ou vivem sob efeito de medicação pesada, negando-se ao FATO de QUE PODE SE LIVRAR das causas com AUTOCONHECIMENTO.

Se estamos nervosas ao falar com alguém, essa pessoas também podem estar nervosas.

A ansiedade é um mecanismo de proteção que, às vezes dá errado.
Isso significa que qualquer pessoa pode se sentir ansiosa e que, embora possa ser desconfortável, a experiência é completamente normal.

Vale ressaltar que a experiência de cada um é diferente, única.

Existem níveis de gravidade e consequências diferentes para pessoas diferentes.

Grave bem isso: não somos estranhas ou condenadas se sentirmos ansiedade. Somos Humanas.

A ansiedade pode nos levar a pensar que não temos controle sobre ela, nem sobre nossas vidas.

A verdade é que existem muitas técnicas que podemos usar para vencer a ansiedade, assumindo o controle de nossas vidas, advindas de conhecimentos teóricos, como já apresentei acima.

Quando conhecemos a CAUSA PRIMEIRA, entendemos o mecanismo, então podemos usar a estratégia perfeita para a nossa história, para nossa causa, para a nossa ANSIEDADE INDIVIDUAL, ÚNICA e INSTRANSFERÍVEL.

A partir dessa consciência, assumimos o compromisso conosco mesmas de praticar regularmente, até constatarmos que temos o PODER de CONTROLAR como nos sentimos, tornando-nos mais RESILIENTES, quando a Ansiedade nos visita.

Quer se livrar da Ansiedade, através do AutoConhecimento? Clique aqui para conversarmos no WTS.

Vamos Mariar com Resiliência! 🦋
Faça sua vida valer a pena: controle sua Ansiedade.
Compartilhe, curta e comente abaixo se gostou desse artigo feito para você com amor.

 

Clique e Leia Também:
Como Criar uma Rotina Matinal

AutoCuidado: Seu corpo Físico

Cure a Criança Interna e Potencialize a Mulher Adulta

Postura Avestruz e a Pobreza Menstrual

AutoCuidado Emocional: Estabelecer Limites

 

 

Autoduidado

Como criar uma rotina matinal?

AutoCuidado: A importância de uma Rotina Matinal

As rotinas matinais nos preparam para o dia.

Elas constituem uma das etapas mais importantes na criação de uma vida com intenção e propósito.

Quando nós construímos um método de organização em nossa vida, adquirimos maior flexibilidade para agirmos com prioridade e sermos mais proativas.

Querida Mulher-Maria, vamos mergulhar em por que as rotinas matinais são “tudo isso” e analisar como você pode criar de modo simplificado as suas próprias Rotinas Matinais! 

 

Rotinas Matinais constroem um dia proativo.

Você já notou que os dias que você acorda sentindo que não dormiu bem, o dia parece ruim?
Já percebeu que – ao acordar atrasada – todo o dia parece corrido?
A maneira como você se sente pela manhã contagiará todo o seu dia.

Quando você tem uma rotina clara para a sua manhã, não só vai acordar se sentindo mais focada, como ficará mais alegre

Viu, como esses exemplos para demonstrar o poder da manhã sobre o nosso dia!

Você sabia que as Rotinas Matinais
permitem tempo, para o que é importante para você?

Pois é, Mulher-Maria, ter rotinas matinais garantem a criação de uma vida com intenção, porque lhe permite administrar o seu tempo, ajudando-a a realizar seus objetivos e atrair seus desejos.

Vou explicar melhor!

Muitas de nós, acreditam que o tempo que têm à noite, é quando – finalmente:

  • Escreverão um livro;
  • Aprenderão um idioma nova;
  • Treinarão para uma maratona;

O grande “X” dessa mentalidade é que, quando chegamos em casa, ou finalizamos nossas atividades em Home-Office, preparamos o jantar, jantamos, fazemos tudo o que for necessário (dar atenção às crianças, aos peta, lavar a louça, colocar roupa para lavar…), estamos exaustas.

Tudo o que mais desejamos é nos jogar no sofá e ver TV (aberta, fechada, Steamings). Quem se vê nisso?

Já, a parte da manhã é sua! Sem interrupções.

Seu cérebro está descansado e você tem o dia inteiro para viver.

Este é o momento em que você pode dedicar 30 min EXCLUSIVOS para você: enviar cartões de aniversário pelas redes sociais, escrever um livro, meditar, orar, fazer atividade física.

É pela manhã, antes que o mundo acorde e você receba a energia das outras pessoas, VOCÊ PODE e MERECE passar um tempo precioso consigo mesma.

As Rotinas Matinais criam hábitos saudáveis.

Quando você tem hábitos positivos, você cria uma base para uma vida intencional.

Quanto você tem clareza de seus objetivos e da vida desejada, você começa de pouquinho a pouquinho a implementar hábitos positivos que vão colocando o chão para você caminhar até a sua Realização.

Decidir o que se quer é rápido.

Realizar é uma jornada, demorada, porque são desafios que vamos vencendo dia a dia, lapidando nosso desejo, nossa paciência, nossa disciplina e nossa perseverança de: “Fazer até dar certo. Fazer e errar, aprender para acertar. Fazer e acertar, celebrar para fortalecer. Sempre avançando.”

Eu sei que – às vezes você fará muito por dias, semanas a fio e, por não ver resultado, se desmotiva.

Eu lhe digo: PERSEVERE com a mesma energia.

Um novo hábito demora 90 dias para se solidificar, o cérebro demora um tempo para reconhecer a mudança e torná-la um HÁBITO.

O que você quer mudar em sua vida?

Faça algo diferente, algo que exija empenho, que tire você do conforto.
A conquista de algo novo, atrair um novo desejo, precisamos mudar nossos hábitos.

Você sabe o que é um hábito?

É tudo o que fazemos inconscientemente, por isso é preciso muito trabalho mental para mudar aqueles velhos hábitos negativos, acomodados, depreciativos sobre nós, o mundo.

A implantação de Novos Hábitos Positivos que apóiem nossos sonhos, projetos requer um trabalho mental com disciplina, constância, como já disse: “Todo o tempo fazendo até dar certo.”

Pare de esperar a melhor oportunidade, segunda-feira.

A hora é agora!

Comece sua manhã com um hábito novo positivo, saudável.
Crie uma nova rotina proativa e encorajadora, desse modo você vai colocando um chão firme para você caminhar ao longo do dia com otimismo e focada no seu melhor.

A rotina matinal tira você do acaso e POSICIONA você na Intenção da Realização, da Prosperidade, da Saúde, porque ao acordar, você sabe exatamente Tudo o que fará para aproximá-la mais e mais do que você deseja e merece.

Por exemplo: eu quando acordo, faço-me Reiki, vou até a varanda, faço Reiki para todos os seres viventes, contemplando a mata Atlântica, depois vou ao banheiro, tomo 1 copo com água e faço Tai-Chi-Chuan ou Qi-Gong por 30 min. Abro a casa toda e vou preparar minha 1ª refeição.

Ou seja, uso o meu poder mental para essas atividades, sem gasto de energia desnecessário.

A partir daí e me permitir fluir nos meus compromissos: profissionais, pessoais, familiares.

Mulher-Maria, quando você executa uma rotina matinal tem a sensação de realização, antes mesmo de começar o seu expediente de trabalho. Em outras palavras, a rotina matinal permite que você receba o seu dia como um Presente e vá desembrulhando – aos poucos – com uma mentalidade positiva.

Com certeza Solar, você vai perceber que se sentirá mais motivada e ágil durante o dia, porque a pessoa mais importante da sua história: VOCÊ, já se tornou uma prioridade.
Com o passar dos dias, você sentirá mais inclinada a reservar tempo para outras atividades importantes para você.

Sabe por quê?

Porque você começou o dia no espaço e tempo certos, dando AMOR, CUIDADO e PODER para a pessoa certa: VOCÊ-Mulher-Maria, aproximando-a – cada vez mais – da realização dos seus objetivos, dos seus sonhos.

Mel, como eu encaixo a Rotina Matinal na organização?

Simples, as rotinas são parte vital da organização cujo objetivo é VIVER a sua vida com intenção e desfrutar da prosperidade.

Todo processo de organização é um hábito, porque você está presente todos os dias para liberar a desordem (preguiça, procrastinação) aos poucos.
Através da organização você consegue libera mais do que objetos físicos, você consegue liberar e se LIBERTAR de crenças limitantes, pensamentos destrutivos, sentimentos de Auto Desamor até relacionamentos tóxicos e abusivos, bem como compromissos que agradam aos outros e nunca a você mesma.

Um dos aspectos da Organização chama-se Rotina Matinal, porque você identifica o que é importante, prioridade para você fazer por você e com você, dedicando-se algumas horas para si mesma, organizando tudo o que não a estiver trazendo benefícios, verdadeiramente, durante esse tempo.

Esse novo hábito transforma você em um ímã de mais abundância, porque você está apoiando, fortalecendo e sustentando a sua vida com intenção, concentrando-se no que é importante para você ser mais feliz, mais saudável, mais próspera.

Como Criar a Sua própria Rotina Matinal

Pensando em facilitar a sua compreensão, convido você a imaginar o seguinte: Vamos jantar juntas!
Pode ser que você ame comida árabe, vamos comer um prato de Esfihas; talvez, você goste mais de comida italiana, então vamos comer um prato de nhoque. Escolha a culinária que mais lhe dê prazer, foque nos pratos!

Nesses restaurantes, sempre temos diversas opções – no cardápio, mas existe um método predominante: você escolhe a massa, ou seja, a base; depois escolhe os recheios e por último um molho.

Ual, salivei aqui. E você, sentiu fome?

Vamos montar sua rotina matinal exatamente com esse método.

É hora de fazer seu pedido!

Manhã Especial: conhecida como sua rotina Matinal!

Base:

Escolha a hora que você vai despertar.
Preferencialmente, após 7 a 8 horas de sono e se comprometa com isso.
A disciplina começa em definir o horário de dormir, adequar a alimentação e parar de se alimentar de 4 a 6 horas, antes de dormir.

Dica: acorde 2h antes de sair de casa para o trabalho, escola.
1ª hora você vai se dedicar à sua Rotina;
2ª hora para se arrumar, arrumar as crianças para a escola, preparar o desjejum.

Passo 1: Escreva num post-it a hora que você vai acordar, defina os alarmes, escreva no seu diário. Anime-se para acordar nesta hora e comprometa-se com você, acordar no 1º toque.

Passo 2: Se você tiver dificuldade em acordar cedo.
No padrão antigo você acorda às 8h e na Nova Rotina, você quer acordar às 6h. Seja gentil com você, faça uma semana acordando às 7h30; outra, às 7h; mais uma às 6h30 e voilà, na 4ª semana você estará acordando às 6h, alcançando sua meta.

2. Coberturas: elas farão parte de sua rotina matinal

Lembre-se de que as Rotinas Matinas são apra criar hábitos saudáveis e sustentáveis, por isso precisamos de concentração em uma atividade de cada vez.
Se você se sobrecarregar na Rotina Matinal, não fará todas e vai se sentir culpada, construindo o ciclo vicioso: não consegue fazer tudo, sente-se fracassada; não consegue evoluir, sente-se culpada.

Dica: Ouse: Escolha 2 a 3 atividades, se você já tem alguma rotina matinal. Se você nunca teve uma rotina matinal, seja prudente: escolha 1 ou 2 atividades = coberturas.

Por exemplo:

Mexa o corpo – faça exercícios, vá à academia, pratique ioga, corra ou caminhe, etc.
Encontre uma amiga para compartilhar e estimular você a perseverar.

Medite
– acalmar sua mente antes de começar o dia o ajudará a se aterrar e desestressar antes de entrar no mundo externo.

Registro de Intenção – Diário – escreva como deseja que seu dia transcorra, como deseja se sentir e o que deseja que aconteça. Visualize-o indo da maneira que você deseja!

Registro de gratidão – Diário – escreva cinco coisas pelas quais você é grata no dia anterior. Isso o colocará em uma perspectiva de apreciação e você estará procurando coisas pelas quais ser grato à medida que este dia se desenrola.

Seja criativa – se você é uma alma criativa, esta pode ser sua hora de desenhar, escrever, blogar e criar.

Aprenda algo novo – sempre quis aprender um novo idioma ou obter sua CNH de carro, moto, jet-ski? Este é um ótimo momento para estudar e trabalhar nesse sentido!

Alcançar um objetivo – sempre quis terminar a faculdade, ou fazer uma nova. Este é um ótimo momento para matricular-se (EAD ou presencialmente)!

3. Molho Secreto: sua arma secreta, seu motivo, seu porquê, seu propósito, ou seja, a razão mais profunda para você fazer algo, realizar seus sonhos e objetivos.

É claro que é difícil acordar cedinho, por exemplo 5h30 da manhã.
Agora, se você tiver um MOTIVO claro e importante para motivar você… você acorda sem despertador.

Lembre-se de quando você vai viajar,
você acorda cedo, sem sofrimento,
porque a Viagem vale a pena!

Por isso, encontre algo verdadeiro e profundo em você que mereça o seu sacrifício de acordar cedinho, de ter uma Rotina Matinal.

Por exemplo:

  1. Se você escolheu terminar uma faculdade.
    Pergunte-se: Por que terminar essa faculdade é tão importante para mim?
    A resposta pode ser, porque você vai melhorar sua vida profissional e financeira, através de um emprego melhor.
  2. Se você escolheu atividade física ou meditação.
    Pergunte-se: Quais os benefícios que eu tenho e sinto, quando faço essas atividades?
    A resposta pode ser melhoria no tônus muscular, emagrecimento, treino para uma maratona, ou simplesmente, melhorar o foco, o equilíbrio mental.

Este molho secreto é PODEROSO.
Quando estiver frio e acordar cedo for difícil… quando você não quiser acordar e fazer sua rotina, porque não tem visto resultados mensuráveis… quando você não tiver vontade de aparecer na sua vida com intenção… RETORNE ao seu PORQUÊ, ao seu motivo.

É o seu motivo, o seu propósito qye determina a sua ação, que motiva a sua Rotina Matinal.
Essa é a matéria prima para você VIVER com Intenção, entender que tudo o que você faz tem um propósito profundo.

E, tendo uma Rotina Matinal, cumprindo-a com consistência, tudo o que você faz está servindo ao seu propósito de modo positivo e a aproxima – não importa se lentamente – a aproxima cada vez mais da sua realização.

Conte-me o que está em Rotina Matinal: a base, coberturas e o molho secreto.


Vamos Mariar com Rotina Matinal! 🦋
Faça sua vida valer a pena.

 

Abraço Acolhedor de Maria para Maria. 🌻

Compartilhe, curta e comente abaixo se gostou de “AutoCuidado: A importância de uma Rotina Matinal”.

 

 

Leia Também:

AutoCuidado: Seu corpo Físico

Cure a Criança Interna e Potencialize a Mulher Adulta

Postura Avestruz e a Pobreza Menstrual

AutoCuidado Emocional: Estabelecer Limites

 

 

1

AutoCuidado: Como você CUIDA de uma CRIANÇA AMADA?

Prática de AutoAmor
AutoCuidado: NUTRIR o CORPO com SAÚDE

Visualize que você é responsável por uma criança adorável,
uma menina de 6 anos de idade.
Pode ser que esta menininha seja filha de sua amiga,
sua afilhada, sua priminha, ou – até sua – filha amada.

Esta pequenininha, que você ama sem medidas, adora você e está super ansiosa para passar momentos divertidos sozinha com você.

Você podendo ensinar-lhe algo legal e passando segurança, para que ela confie e acredite que você cuidará muito bem dela e ela de você.

IMAGINE QUE ESSA MENININHA É A SUA PRÓPRIA CRIANÇA INTERNA.
Você trataria essa criança de modo diferente, porque – agora – você sabe que é você?

Sempre que cuidamos de nossa criança interna estamos dentro de uma prática imprescindível de nos AMAR em primeiro lugar.

Como psicóloga, coach e neurocientista, costumo apresentar essa técnica de visualização, para propiciar às minhas clientes e mentoradas a oportunidade de pensarem além de si mesmas, sendo que na verdade, estão pensando um pouco mais em si mesmas, enfaticamente diante de problemas alimentares.

Evitando refeições saudáveis, é eficaz levá-la à reflexão que negar a si mesma uma refeição de qualidade é como negar alimento a uma meiga criança de 6 anos, faminta e necessitada de uma refeição saudável.

Mulher-Maria, é sempre muito útil que você compreenda as necessidades de uma criança, porque às vezes parece mais fácil amar uma criança do que a si mesma.

 AutoCuidado: NUTRIÇÃO SAUDÁVEL É
A FORMA MAIS RADICAL DE AUTOAMOR.

Ao preparar uma refeição nutritiva para si mesma, principalmente, quando essa atividade – cozinhar para si mesma – é a última coisa que deseja fazer. Sabe o que isso significa?

Significa que você está dizendo para a sua criança interna:

 “Eu não amo você.
Não me importo que você esteja com fome.
Não vale a pena alimentar você.”

Uma alimentação saudável, rica de nutrientes, é fundamental para o desenvolvimento físico, mental, emocional e social dessa criança.

Como você acontece da mesma maneira, você precisa de alimentação saudável, rica em nutrientes, isso fará você se sentir – além de orgulhosa de si mesma.

Demonstração simples é um importante ato de amor.
Você forneceu a nutrição que seu corpo pode usar para curar, fortalecer, rejuvenescer, capacitá-la para VIVER um dia melhor, produtivo.

O QUE VOCÊ COME
COMO VOCÊ COME
SÃO IMPORTANTES PARA SUA SAÚDE.

Lembre-se de alguns comportamentos alimentares:

  1. Comer em pé na pia;
  2. Não sentar-se para comer;
  3. Não fazer um prato especialmente para você (comer as sobras dos pratos dos filhos)
  4. Pular refeições durante o dia;
  5. Farrinhas alimentares noturnas (álcool, refrigerantes, massas…)

Observe as mensagens enviadas por você para a sua criança interna:

  • “Não tenho tempo para você…”
  • “Você não merece que eu me sente para alimentar você”
  • “Para quem é, qualquer coisa serve.”
  • “Tem coisas mais importantes que você.”
  • “Você não é minha prioridade.”
  • “Você merece as sobras dos outros.”
  • “Como eu negligenciei você o dia todo, vá e coma o que e quanto quiser até encher e não me incomodar mais.”

Atente que essas mensagems subliminares que os maus hábitos alimentares traduzem, vão construindo o chão, o caminho para doenças autoimunes, destrutivas físicas e emocionais.

Sim, é imprescindível construir um ambiente acolhedor, em torno da alimentação:

  1. Dedique um tempo para suas refeições principais e intermediárias;
  2. Faça suas refeições – até as mais simples com calma e respeito.
  3. Use os melhores pratos, copos e talheres, porque você merece;
  4. Sente-se confortavelmente à mesa;
  5. Escolha uma música tranquila;
  6. Leve à boca garfadas e/ou mordidas pequenas, para favorecer o saborear e o mastigar os alimentos nos dois lados da boca até engolir como líquidos, os alimentos sólidos;
  7. Basta de sobras! (em todas as áreas.) Ensine seus filhos a colocarem nos pratos o suficiente para se alimentarem, se for preciso repita as porções;
  8. Você vale a pena e merece o melhor sempre.

Quantas Calorias, Pontos, Marcos? Jejum Intermitente?
Pare de contar. Comece a ESCUTAR.

Estou com sobrepeso, passei por diversas nutricionistas, endocrinologistas e vivi a tensão do reino da nutrição entre comer o suficiente e comer demasiado.

Encontrar o equilíbrio nessa briga é a meta da maioria. Pois bem!

Saia da briga. Toda briga envolve perda, atrito.

Comecei a ouvir e escutar aquela voz baixinha que sinaliza a comunicação verdadeira do seu centro da fome. O peso excedente está sendo eliminado lentamente como tem de ser.

Sempre me ensinando: “Estou com fome, comerei o que me alimenta.”

Essa comunicação é a oportunidade de reconhecermos o nosso AutoAmor.

Hidrate seu corpo com água, muitas vezes sede se parece com fome. Alimente-se do que realmente tem nutrientes: legumes, verduras, oleaginosas, sementes, carnes, ovos, raízes, frutas, grãos.

Massas, doces, chocolates, alcoólicos, refrigerantes, biscoitos, frituras, lanches… não alimentam.

Não alimentam, só preenchem espaços vazios e em pouco tempo suscitam mais fome.

Antes de Comer, pergunte-se: “Estou com fome de quê?”

Se a resposta for não sei; se você abre a geladeira cheia de delícias e não encontra algo saudável que lhe dê prazer… sinto lhe dizer que você está com FOME EMOCIONAL.

Nesse caso, nenhum alimento trará saciedade.
O que pode saciar você é amor, atenção, carinho, pertencimento, reconhecimento…

Eita! a fome que aparece no início da noite, fim da noite, madrugada, aqueles momentos em que você está mais sozinha consigo mesma.
Você não está sendo boa companhia para si mesma, então fica com Fome de tudo e nada aplaca essa fome.

“Você tem fome de quê?
Você tem sede de quê?” Titãs

Se a resposta for: “Estou com fome de arroz, feijão, bife, salada, ovos, batata, homus, kibe, frutas”…

Sua fome é real. Coma! Você realmente está com fome.

Pode ser que seu corpo esteja tão ocupado com atividades profissionais, que o estresse deixa seu corpo em torpor, como se o momento não fosse seguro para que ele – corpo – comunique: “Preciso ser alimentado.”

Essa falta de segurança é própria dos comedores compulsivos, fora de casa, eles comem como passarinhos, ou simplesmente não comem.

Quando chegam em casa, estão seguros e todos os sinais da fome crescem sem limites e aí devoram uma pizza sozinhas.

Exemplo típico de um estado de sobrevivência.

Comer tudo agora, porque pode não ter depois.

 

Já o comer típico de um estado de prosperidade: Comer o suficiente pra alimentar o corpo ao longo do dia, hidratando o corpo com água e permitir ao corpo descansar sem se alimentar por 12h, incluindo as horas de sono.

Eu tenho uma excelente notícia para você!

Tenha coragem e comece a viver como se estivesse cuidando de sua criança interna. Ao ouvir, ensinar, disciplinar, nutrir e passar bons momentos consigo mesma.

Você passará a viver excelentes momentos com outras pessoas, porque o seu AutoAmor e AutoRespeito serão contagiantes e florescerão em todos os setores de sua vida.

Aproveite a próxima oportunidade de MOSTRAR A SI MESMA a profundidade de seu AUTOAMOR, na próxima refeição.

Faça sua vida valer a pena.
Vamos Mariar! 🦋

Abraço de Maria para Maria.💞

 

 

  • Leia Mais:

AutoCuidado: Rotina Matinal

AutoCuidado Emocional: Estabelecer Limites